terça-feira, 19 de setembro de 2017

POR QUE TOCAR NUMA GUITARRA MANOUCHE?

    Tenho recebido alguns emails me perguntando se é possível tocar gypsy jazz num violão folk? numa guitarra? num violão com cordas de nylon?
 A resposta é obviamente sim... você pode tocar onde você quiser, afinal a música é livre mas, você deve ter em mente que o som que você vai reproduzir por melhor que você seja 'foge' da essência do gypsy jazz e pode ser como tocar samba com ukelele ao invés do cavaco ou bandolim, usar um violão folk pra tocar flamenco, guitarra flying para tocar jazz tradicional.
Apesar de existirem modelos mais atuais com cordas de  nylon e alguns músicos de qualidade indiscutível que se aventuram por esses caminhos de maneira muito interessante o timbre não convence e destoa a estética do timbre característico do estilo. Bem ou mal tocado não soa como o verdadeiro jazz manouche.

As guitarras manouches desenvolvidas a partir do modelo desenvolvido por Selmer Maccaferri  tem suas caraterísticas de timbres devido ao comprimento da escala maior que nos violões folk ou nylon, tail piece onde são presa as cordas e formato de boca (oval, D hole, Bean , F hole  e outras variações).

Grerta Weiss & Tchavolo Schimtt

O comprimento da escala aliado a postura da mão direita faz uma grande diferença fisicamente para adaptação para novos aspirantes do jazz manouche e deve ser motivo de atenção na hora de tocar, tanto no quesito técnica x volume como também com prevenção para lesões nos tendões, bem conhecidos pelos guitarristas que tocam em alta velocidade em instrumentos com cordas 'pesadas' que prefiro chamar de 'firmes'.

Apesar do mercado de guitarras manouche ser bem limitado no Brasil sempre 'aparece' alguma por ai...nas redes sociais e mercado abertos disponíveis. O preço de um instrumento para nível estudante (made in asia) varia em torno de R$1500 a R$4000, modelos com madeiras e peças mais selecionadas a partir de R$5000 Existem alguns bons luthiers construindo bons instrumentos com madeiras nobres (que são as nossas e muito procuradas mundo afora) com preços muito interessantes se comparado a um instrumento construído por um luthier europeu ou americano ( U$3.000 +)


Tenho usado nos anos mais recente uma guitarra manouche construído pelo luthier Fabio Moffato de Bela Vista do Paraíso, perto de Londrina no Paraná. Conheci o Fabio uns 5 anos atrás quando precisei de um luthier para fazer uma troca de escala da minha guitarra manouche "Servy D hole" feita a mão na frança. Depois do excelente trabalho no violão francês começamos a desenvolver um modelo signature unido características que me agradavam de modelos que tenho e diversos que tive a oportunidade de tocar.


O resultado é um modelo com medidas Selmer com oval hole,  tampo de cedro archtop e madeiras nobres. Essa é a primeira vez que faço a opção do tampo de cedro ao invés do tradicional "Abeto", o cedro produz um som mais aveludado e mais sensível as dinâmicas da mão direita.
As mecânicas vieram de fora: Tarrachas (Saga Luxe) e Tail Piece (Casteluccia), o cavalete é um Maurice Dupont com captador bigtone embutido.
Pra quem esta buscando um instrumento de 'verdade' com um preço honesto vale a pena conversar com Moffato Luthier.

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário