segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Remi Harris - Entrevista


Remi Harris é um guitarrista de destaque do Reino Unido, cujo estilo único é inspirado no Gypsy Swing, Jazz, Blues, Rock, Eletrônica e World Music. Aclamado pela crítica e  revistas especializadas ele excursionou por todo o mundo, bem como se apresentou no Palácio de Buckingham, Festival de Jazz de Montreal, BBC Proms no Royal Albert Hall com Jamie Cullum, na BBC 4 Television e ao vivo na BBC Radio 2 e na BBC Radio 3. Em seus shows, Remi toca uma mistura eclética de composições originais, improvisações, padrões de jazz e novos arranjos musicais de Django Reinhardt, Jimi Hendrix, Wes Montgomery, Charlie Parker, Peter Green e muitos mais. 


E N T R E V I S T A  com  R E M I   H A R R I S


* Entrevista exclusiva para o blog Guitarra Manouche


Quantos anos você começou a tocar?
R.H- Eu tinha 7 anos quando comecei a tocar guitarra

Quais são suas influências?
R.H - Quando eu era criança, minhas maiores influências eram principalmente bandas de rock e blues do final dos anos 60 e 70, como os Beatles, o Led Zeppelin, o Peter Green, o Eric Clapton, o Lynyrd Skynyrd e o Stevie Ray Vaughan. Quando eu estava no final da adolescência, comecei a ouvir guitarristas como Joe Pass, Django Reinhardt, Wes Montgomery e Stochelo Rosenberg, e isso me interessou em tentar aprender a tocar jazz. Agora eu tento ouvir muitos tipos diferentes de música e instrumentos, para que eu possa me inspirar em todos os lugares.

Qual guitarra e cordas você prefere?
R.H - Eu gosto de muitas guitarras acústicas e elétricas diferentes, mas a minha principal guitarra cigana é feita no Reino Unido pela Fylde Guitars. Eu uso cordas Newtone.

Quais são seus projetos futuros?
R.H - Eu estou trabalhando no meu próximo álbum de jazz no momento e também compondo músicas para um projeto de rock e blues elétrico que eu espero começar a tocar e gravar em breve. Eu vou fazer uma turnê no outono e outra na primavera de 2019 com minhas músicas de jazz e acho que veremos o que acontece depois disso.

Como é a cena da música jazz cigana na sua cidade?
R.H - Eu moro no interior, então não há cena de jazz cigano local. Embora isso signifique que eu não conto com tantas pessoas quanto gostaria, isso me dá liberdade para me concentrar nas minhas próprias coisas e tentar abordar as coisas do meu jeito.

Que mensagem você pode deixar para os guitarristas que estão começando neste estilo?
R.H - Apenas aprenda e pratique o máximo que puder e tente manter uma mente aberta, pois isso o ajudará a desenvolver sua própria abordagem.






Nenhum comentário:

Postar um comentário