sábado, 2 de março de 2019

Adrien Marco - Entrevista


Adrien Marco é um guitarrista Francês com raízes italianas, 
autodidata, começou no instrumento, descobrindo aleatoriamente a música Django Reinhardt. Hoje, com pouco mais de 30 anos de idade divide o palco grandes mestres de estilo como Angelo Debarre, Tchavolo Shmitt, Dorado Schmitt e outros ...

Embora profundamente ligado ao jazz manouche, Adrien Marco é influenciada por outros estilos de música, que vão desde hip hop americano ao funk music, jazz, música clássica e música italiana.Seu álbum de estréia "Clin d'oeil" foi lançado em 2013. Em 2016 lançou o álbum "Voyages" recebido com entusiasmo pela crítica especializada.

O músico reconhecido continua sua jornada, totalizando mais de 900 concertos e eventos notáveis, interpreta de maneira fiel ao estilo aliando uma sonoridade moderna em termos sonoros e no repertório.



E N T R E V I S T A  com  A D R I E N  M A R C O

* Entrevista exclusiva para o blog Guitarra Manouche




Quantos anos você começou a tocar?
A.M - Eu comecei tarde, aos 17 anos, tocando violão.


Quais são suas influências?

A.M - Eu ouço muitas coisas. Música cubana, hip hop, música clássica, italiana, música de filmes, jazz, funk e claro, Django.


Qual guitarra e cordas você prefere?
A.M - Eu uso a guitarra de Jerome Duffell. Som fantástico,  alto nível e exigente de Jerome. Muita resposta e muito preciso. Eu uso cordas argentinas, e eu prefiro cordas vermelhas ou às vezes roxas.


Quais são seus projetos futuros?

A.M - Eu trabalho com meu trio para o projeto no próximo álbum. Nós fizemos o álbum "Voyages" (Viagem) há dois anos, com músicas como o meu compo "Robe Noire", ou homenagem a Buddy Holly, e faremos outro álbum em algum momento, com outras músicas. Meu amigo Titi Haag (guitarrista base) de Forbach gravará com a gente. Estamos terminando de preparar este álbum e vamos ver quando o gravamos. Esperarmos ansiosamente.


Como é a cena da música gypsy jazz na sua cidade?
A.M - Com o meu trio na minha cidade ou região (Bourgogne (Burgundee)), apresentamos essa música para as pessoas, então eles parecem gostar disso e eles nos chamam frequentemente para tocar.


Que mensagem você pode deixar para os guitarristas que estão começando nesse estilo?
A.M - Eu acho que eles têm que entender que o jazz cigano exprime a vida, então é verdadeiramente uma cultura. É importante entender quando eles trabalham ou ouvem jazz cigano. Esta música precisa de coração. Idéias são importantes, mas também são o coração e o som. No meu ponto de vista, acho que a mão esquerda também é importante. Muitos guitarristas não se importam com isso e é um erro. A mão esquerda precisa ser precisa para expressar emoção nesta música. E para terminar, eu diria que o mais importante é: continuar tocando, com o coração. Essa música é uma linguagem pura, então continue sendo simples e singela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário